Leite de camelo, o ‘ouro branco’ do leste da África

A indústria do leite de camelo, acredite ou não, está em franca expansão. Estimativas dão conta de que ela já movimenta mais de US$ 10 bilhões anuais. E embora esse aumento na popularidade seja recente, o ser humano consome o leite desse animal há mais de seis mil anos.

No leste da África, fazendeiros criam mais de 12 milhões de camelos com o propósito de produzir a bebida, visada principalmente por pessoas que acreditam que ela tem propriedades medicinais.

De olho nisso, o casal Zamzam Haji e Jama Warsame, do leste do Quênia, abriu a White Gold (“Ouro Branco”, em tradução literal). Eles encontraram uma lacuna no mercado: a necessidade de leite pasteurizado.

“Nós investimos muito no manejo do leite, na higiene. As pessoas conseguem o leite em muitos lugares, mas muito desse leite é defumado”, conta ele. O motivo? “Como forma de preservar”, acrescenta.

Ao mesmo tempo, existe uma grande preocupação por parte de pesquisadores internacionais de que a proximidade entre humanos e camelos favoreça futuras pandemias.

Por isso, cientistas no leste da África tentam estabelecer um controle zoonótico desses animais e pedem que as populações locais não consumam leite não processado de camelos – que pode ser foco de contaminação.

Saiba mais sobre essa preocupação nesta reportagem: https://www.bbc.com/portuguese/vert-fut-56040350

Curtiu? Inscreva-se no canal da BBC News Brasil! E se quiser ler mais notícias, clique aqui: www.bbc.co.uk/portuguese

#BBCNewsBrasil #África #Camelos

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!